guilherme
programação
museu
educativo
tradução literária
cinema
publicações
bancos de dados
serviços

Evento Especial



BLOOMSDAY 2015 – 28ª edição em São Paulo (16/06)

16 de Junho de 2015 | 19h

Celebração anual da obra de James Joyce
Coordenação de Marcelo Tápia e Ivan de Campos

O CANTO DAS SEREIAS

Participação no Bloomsday do Rio de Janeiro

A convite dos organizadores do Bloomsday que acontecerá na Faculdade de Letras da UFRJ, o diretor da Casa Guilherme de Almeida, Marcelo Tápia, fará uma intervenção de 30 minutos por Skype, no dia 16 de junho, às 12h30min, sobre a história do evento no Brasil.

 

Programa da celebração do Bloomsday no Finnegan’s Pub

Dia 16 de junho, a partir das 19h

 

O Bloomsday 2015, inspirado pela natureza paródica do Ulysses de Joyce e particularmente pelo capítulo correspondente ao episódio das Sereias da Odisseia de Homero, focalizará o tema desde sua origem, evocando sua presença no mundo mítico da Grécia Antiga, na própria literatura e música brasileiras – incluindo correspondentes indígenas e afro-brasileiros do mito, como a Uiara do Macunaíma, de Mário de Andrade – para chegar ao romance de Joyce, com as garçonetes-sereias do bar do Hotel Ormond, em Dublin: compondo um coro universal, trechos do episódio serão lidos em diversos idiomas, do hebraico ao português. A música terá forte participação no evento, que contará com apresentação de gaita de foles, de música instrumental irlandesa – por duas bandas com repertório diverso – e de canções voltadas ao tema das sereias, além de uma “jam session” de encerramento, que evocará a já longa tradição do Bloomsday em São Paulo, iniciada em 1988, no Finnegan’s Pub, pelo poeta Haroldo de Campos.

 

 

BLOOMSDAY 2015

Tema: “O Canto das Sereias”

- História do Bloomsday em São Paulo e o Programa 2015 – Marcelo Tápia

- Performance Sim, sim, telefone não (uma recriação do monólogo de Molly Bloom) – Mauricio Vasconcelos

- “As sereias no mundo mítico grego” – Jaa Torrano

- Leitura de fragmento (sereias) do Canto XII da Odisseia de Homero, em tradução de Haroldo de Campos – Ivan de Campos

- “Homero e Caymmi”: recitação do mesmo fragmento em grego, seguido por trecho da canção “É doce morrer no mar”, de Dorival Caymmi – Marcelo Tápia e Diego Lisboa (flauta)

- “Finismundo: a última viagem”, de H. de Campos – Donny Correia, Marcelo Tápia e Simone Homem de Mello

- Sereias em águas brasileiras – leitura de breves fragmentos de:

            A ilha maldita, romance de Bernardo Guimarães – Donny Correia

            O tronco do ipê, romance de José de Alencar – Lucio Agra

            Dois poemas: Cecilia Meireles e Guilherme de Almeida – Marcelo Tápia

            Macunaíma, romance de Mário de Andrade (“Uiara”) – Antonio Vicente Pietroforte

- Apresentação de música irlandesa instrumental – Banda Oran

- Breve apresentação do episódio “The Sirens“ (“As Sereias”), em Ulysses, de J. Joyce – Maria Teresa Quirino

- Leitura de quatro das primeiras linhas do episódio “The Sirens”, em quatro traduções ao português, seguida de breve comentário – Marcelo Tápia e Maria Teresa Quirino

- Performance: “As sereias no bar do Hotel Ormond: Miss Douce (Bronze) e Miss Kennedy (Ouro)” – Júlia Burnier e Gabriela Mafud (do grupo Teatro da Peste)

- Leitura de breve fragmento do episódio em inglês, português, francês, espanhol, italiano, alemão e hebraico:

            Aurora Bernardini – italiano

            Maria Teresa Quirino – português

            Alzira Allegro – inglês

            Eliane Fittipaldi – francês

            Pérola Wajnsztejn – hebraico

            Simone Homem de Mello – alemão

            Tereza Jardini – espanhol

- Canções de sereias (apresentação musical) – Yun Jung Im e Maurício Bussab

- Música irlandesa instrumental: Ricardo Dias e banda

- Encerramento:
  “Jam session”: a tradição do Bloomsday em São Paulo – Cid Campos, Felipe Ávila, Lucio Agra, Peter Nitsch e Edvaldo Santana;
  Leitura de trechos de Ulysses e Finnegan´s Wake – John Milton

 

Apoio: Jameson Irish Whiskey

 

 



Ivan de Campos, professor titular de Química da Unip – Universidade Paulista, é poeta, tradutor e coorganizador do Bloomsday em São Paulo.

Marcelo Tápia, poeta e tradutor, é graduado em Letras (Português e Grego) e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP. Autor de cinco livros de poemas, traduziu, entre outras obras, os romances Os passos perdidos (2008) e O reino deste mundo (2009), de Alejo Carpentier. É um dos organizadores de Transcriação, coletânea de ensaios de Haroldo de Campos (2013). Dirige o museu Casa Guilherme de Almeida – Centro de Estudos de Tradução Literária, em São Paulo.

voltar
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU
Agendamento de visita (grupos): 55 11 3672-1391 | 3868-4128
Visitação: Quarta a sábado, das 12h às 16h

CASA GUILHERME DE ALMEIDA
CENTRO DE ESTUDOS DE TRADUÇÃO LITERÁRIA

55 11 3673-1883 | 3803-8525 | contato@casaguilhermedealmeida.org.br
Museu: R. Macapá, 187 - Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo
Anexo: R. Cardoso de Almeida, 1943 | CEP 01251-001 | São Paulo

OUVIDORIA