guilherme
programação
museu
educativo
tradução literária
cinema
publicações
bancos de dados
serviços

Curso



CITRAT (USP) - A TRADUÇÃO LITERÁRIA E SEUS CAMPOS DE INTERAÇÃO

02 de Agosto de 2017 | 14h às 16h
Aula 1

(Centro de Estudos de Tradução Literária)

Uma parceria do Centro de Estudos de Tradução Literária da Casa Guilherme de Almeida com o Centro Interdepartamental de Tradução e Terminologia (CITRAT) da Universidade de São Paulo.

Quartas-feiras, de 2 de agosto a 27 de setembro de 2017, das 14h às 16h

Local: Faculdade de Letras da Universidade de São Paulo


A TRADUÇÃO LITERÁRIA E SEUS CAMPOS DE INTERAÇÃO
Concepção e coordenação: Simone Homem de Mello e Marcelo Tápia

A imagem do tradutor literário como um profissional que realiza seu trabalho solitariamente é apenas parte da verdade. Este curso pretende mostrar a interseção dessa profissão com diversos outros campos de trabalho na área cultural e apontar os âmbitos em que a tradução literária passa a ser um trabalho de equipe. O fato de essa profissão poder ser considerada um ponto central no sistema de produção, transmissão e veiculação da literatura faz também com que o tradutor deva dominar habilidades bastante diversas. O programa contempla tanto as funções do tradutor como leitor, pesquisador, escritor, revisor e crítico, como o seu trabalho conjunto com profissionais das áreas de formação, pesquisa, edição e divulgação cultural. O curso será ministrado por diversos palestrantes, entre os quais tradutores profissionais, escritores, professores da área de Estudos da Tradução e editores.

 

2/8 – O tradutor (e o) leitor
         Jiro Takahashi

9/8 – O tradutor (e o) escritor
         Horácio Costa e Luiz Augusto Contador Borges

16/8 – O tradutor (e o) ensaísta
           Marcelo Tápia       

23/8 – O tradutor (e o) formador
           Alzira Allegro

30/8 – O tradutor (e o) pesquisador
           Stella E. O. Tagnin

14/9 – O tradutor (e o) lexicógrafo
           Maria Celeste Consolin Dezotti

20/9 – O tradutor (e o) editor
           Cide Piquet

27/9 – O tradutor (e o) crítico
           Simone Homem de Mello


Os alunos da Casa Guilherme de Almeida poderão ter bolsa integral para frequentar o curso. As inscrições devem ser feitas até o dia 21 de julho.

Esta atividade poderá contar como crédito de horas para o Programa Formativo para Tradutores Literários




Alzira Allegro
é doutora em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), além de tradutora juramentada e literária. Foi professora de Tradução e Literaturas de Língua Inglesa no Centro Universitário Ibero-Americano (1989-2011), professora de Tradução na pós-graduação da mesma instituição e no Centro Universitário Padre Anchieta, em Jundiaí, e professora de inglês na Cultura Inglesa (1988-2005). Atualmente, é professora de Literaturas de Expressão Inglesa e de Tradução na PUC-São Paulo, e coordena a Oficina de Tradução/Prosa do Programa Formativo de Tradutores Literários da Casa Guilherme de Almeida.

Cide Piquet nasceu em Salvador em 1977 e estudou Letras na USP. É editor, tradutor e poeta. Trabalha desde 1999 na Editora 34, atuando especialmente nas coleções de poesia e literatura estrangeira. Tem ministrado cursos e palestras sobre edição, revisão e tradução no Espaço Revista Cult, Casa Guilherme de Almeida, Universidade do Livro e no curso de Editoração da Escola de Comunicação e Artes da USP, entre outros. Publicou o livro de poemas Malditos sapatos: 18 poemas de amor e desamor (Hedra, 2013); traduções de ensaios (Edmund Wilson, Charles Baudelaire, Enrique Vila-Matas, etc.), poemas (D.H. Lawrence, Pier Paolo Pasolini, Robert Walser, Jack Underwood, Yehuda Amichai, Hans Magnus Enzensberger etc.), e o livro infantil Histórias para brincar, de Gianni Rodari. Organizou e traduziu o volume Esta vida: poemas escolhidos, de Raymond Carver (Editora 34, 2017, no prelo).

Horácio Costa
é poeta, crítico, tradutor, professor universitário. Diplomado em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo-USP, 1978; Master of Arts (M.A.), New York University, 1983; Doctor of Philosophy (PhD), Yale University, 1994. Foi professor titular da Universidade Nacional Autônoma do México-UNAM; 1993-2001; desde esta data é professor-doutor na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Publicou livros de poesia no Brasil como: O Menino e o Travesseiro, 1994, com reedição em 2003; Quadragésimo, 1999; também publicados noMéxico, em espanhol. Uma antologia de sua obra, Los jardines y los poetas, foi publicada na Venezuela em 1993, e uma edição de luxo de O Menino e o Travesseiro, com gravuras de José Hernández e prólogo de José Saramago, nos Estados Unidos (1994). Seu poemário mais recente é A hora e vez de Candy Darling (2016). Em 2017 foi publicado o ebook Sobre o olhar ciclópico: leituras da obra de Horácio Costa.Traduziu ao português os poetas: Octavio Paz, César Vallejo e José Gorostiza.Seus livros de crítica são: José Saramago – o período formativo (1997 e 2004) e Mar Abierto – ensayos de literatura brasileña, portuguesa e hispano-americana (1998), também publicado em português (Mar Aberto: literatura brasileira, portuguesa e hispano-americana; 2010).Sua obra poética foi traduzida ao espanhol, inglês, francês, alemão, italiano, catalão, sueco, búlgaro, romeno e macedônio. Ocupou a “Cátedra Alfonso Reyes” no El Colégio de México e “José Saramago” da UNAM (2016) e é membro do “Centro de História d’Aquém e d’Além Mar-CHAM” da Universidade Nova de Lisboa e do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Universidade do Porto.

Jiro Takahashi
 atua no mercado editorial desde 1966. Iniciou na Editora Ática, participando da criação de novos conceitos de Livro de Professor e Suplementos de Trabalho, das séries Vaga-LumePara Gostar de Ler, Autores Brasileiros, etc. Atuou, também, na direção editorial da Abril Educação, Nova Fronteira, Ed. do Brasil, grupo Ediouro e grupo Rocco. Atualmente é editor executivo da Nova Aguilar. Fundou a Editora Estação Liberdade em 1990. É mestre em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e leciona nos cursos de Letras, Tradutor e Intérprete, do Unibero/Kroton, de editoração na Universidade do Livro-Unesp e na Casa da Educação/Inst. Singularidades.

Luiz Augusto Contador Borges 
é graduado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1981), mestre em Filosofia (estética, filosofia moderna) pela Universidade de São Paulo (1998), doutor em Filosofia (filosofia contemporânea) pela Universidade de São Paulo (2012) e pós-doutor em Letras (teoria literária) pela Université Paris-Diderot (Paris7) (2015). Como pesquisador científico da Université Paris-Diderot participou do Centre d'Etudes et de Recherces Interdisciplinaires de I'UFR Lettres, Arts, Cinéma (CERILAC). Como escritor, tem publicado diversas obras em gêneros literários distintos: poesia, ensaio, teatro. É coordenador e tradutor da coleção "Pérolas Furiosas", dedicada às obras do Marquês de Sade. É também tradutor de autores como: Gérard de Nerval, René Char e José Kozer. Atualmente tem se voltado para o estudo das teorias literárias do pós-estruturalismo francês, com ênfase na erótica textual barthesiana. Para tanto, realiza um novo pós-doutorado, desta vez no departamento de linguística da USP, onde desenvolve pesquisa na linha de "Análise dos discursos e dos textos verbais expressos na modalidade oral e escrita, e dos textos não verbais".

Marcelo Tápia
, poeta, ensaísta e tradutor, é doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP. Autor de cinco livros de poemas – reunidos no volume Refusões, ed. Perspectiva, 2017 –, traduziu, entre outras obras, o romance Os passos perdidos (ed. Martins / Martins Fontes, 2008), de Alejo Carpentier. É professor do Tradusp – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da FFLCH-USP. Dirige os museus Casa das Rosas e Casa Guilherme de Almeida, além de orientar a Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, instituições da Secretaria de Estado da Cultura que integrarão, a partir de janeiro de 2018, a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo.

Maria Celeste Consolin Dezotti
é graduada em Letras (1974) e tem especialização em Literatura e civilização grega pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara (1975), mestrado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1988) e doutorado em Letras (Letras Clássicas) pela Universidade de São Paulo (1997). Atualmente é Professora Assistente Doutora II da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atua principalmente nos seguintes temas: Aristófanes, comédia grega, gênero, mito, épica e tragédia.

Simone Homem de Mello
 é autora e tradutora literária. Sua poesia está publicada nos livros Périplos (2005), Extravio marinho (2010) e Terminal, à escrita (2015) e em antologias brasileiras e estrangeiras. Escreveu os libretos das óperas Orpheus Kristall (composição de Manfred Stahnke, Munique, 2002), Keine Stille auβer der des Windes (composição de Sidney Corbett, Bremen, 2007) e UBU – Eine musikalische Groteske (composição de Sidney Corbett, Gelsenkirchen, 2012). Como tradutora, dedica-se à poesia moderna e contemporânea de língua alemã. Desde 2011, trabalha como coordenadora do Centro de Estudos de Tradução Literária da Casa Guilherme de Almeida.


Stella E. O. Tagnin
, professora aposentada da Universidade de São Paulo (USP), ainda ativa na pós-graduação, escreveu O jeito que a gente diz (2005) e organizou três volumes com artigos sobre o uso de corpora em diversas áreas: Corpora no Ensino de Línguas Estrangeira e Corpora na Tradução (ambos em co-autoria com Vander Viana) e Corpora na Terminologia (em co-autoria com Cleci Bevilacqua). Tem publicações em periódicos nacionais e estrangeiros. É coordenadora do Projeto CoMET, que compreende três corpora: CorTec (Corpus Técnico), CorTrad (Corpus de Traduções) e COMAprend (Corpus Multilíngue de Aprendizes), todos acessíveis pela Internet.

voltar
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

Visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.
Atividades culturais e educativas: de terça a sexta-feira, das 19h às 21h, e aos finais de semana, das 10h às 19h
(consultar programação).

CASA GUILHERME DE ALMEIDA
CENTRO DE ESTUDOS DE TRADUÇÃO LITERÁRIA

55 11 3673-1883 | 3803-8525 | casaguilhermedealmeida@gmail.com
Museu: R. Macapá, 187 - Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo
Anexo: R. Cardoso de Almeida, 1943 | CEP 01251-001 | São Paulo

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA ESTADUAL
OUVIDORIA